Arquiteto, design de interiores ou decorador?



É muito comum contratar serviços de decoração para mudar as características físicas da obra ou projeto. No entanto, há uma delimitação importante entre os profissionais, bem como à atribuição legal e responsabilidade técnica.E esta é uma questão bem confusa até mesmo para os profissionais das áreas envolvidas. O que por muitas vezes acometem erros e problemas relacionados à atribuição legal e responsabilidade civil.

Decorador

É um profissional (com ou sem graduação na área) que por muitas vezes desempenha esta profissão de forma autodidata. Suas atribuições são restritas á decoração dos ambientes, escolha de acessórios, móveis, cores, etc. ou seja, nada que altere fisicamente o espaço e estrutura do local. Esta é uma profissão que entra em conflito diretamente com o Designer de interiores, pois o limite nas decisões entre uma profissão e outra é bem próxima.

Designer de interiores

Este desempenha o papel de decorador, mas isso apenas no “final da obra”. Sua função exige um projeto, elaborar o espaço com coerência seguindo normas técnicas de ergonomia, acústica, iluminação, térmica entre outras de acordo com a necessidade e legislação de cada categoria.

Esta é uma profissão que pode atuar apenas em espaços internos auxiliando o arquiteto a dar solução e resolver os espaços de forma a atender a necessidade de cada cliente e sua formação pode-se dar em cursos de Nível Técnico, Tecnólogo e de Graduação completa.

Arquiteto

O arquiteto por vez, apenas pode exercer este papel após sua graduação em cursos de arquitetura e urbanismo (geralmente com duração de cinco anos). A formação em um curso de arquitetura permite que atue em várias áreas como: estudo e planejamento de projetos, execução de desenho técnico, elaboração de orçamento, padronização, mensuração e controle de qualidade, execução de obra e serviços técnicos.

Este é o único profissional que está habilitado a tomar decisões na implantação de seu projeto; com parecer sobre localização, legislações idílicas e urbanas, aspectos ambientais e topográficos.

A formação em diversas áreas de um arquiteto permite um bom embasamento artístico e uma visão abrangente dos espaços. Arquitetos devem estar preparados para executar um projeto em escala urbana, desde projetos de grande porte ou mesmo o interior de uma residência.